Sete paraísos entre os 700 templos de Kyoto

Entre construções milenares e as folhas verdes do Momiji que logo-logo, no outono, se tornarão vermelhas para caírem na chegada do inverno. Este é o visual de Kyoto, um dos principais destinos turísticos no Japão.

Separamos aqui sete destinos para conhecer em Kyoto, lugares conhecidos e outros não tão conhecidos assim.

1 – Palácio Imperial de Kyoto

Um tradicional casa de chá construida próximo ao palácio Imperial de Kyoto

Um tradicional casa de chá construida próximo ao palácio Imperial de Kyoto (Tati Melo)

O Palácio Imperial é um desse grandes pontos verdes no mapa da cidade. O local é realmente grande, aprox. 1.3km2. No local estão o palácio de Kyōto Gosho, construído em 1877, além de outros palácios e alguns templos.

O parque, extremamente cuidado, já vale a visita, mas com hora marcada você pode entrar no local que foi a residência do imperador do Japão, antes da capital do país ter se mudado para Tokyo.

Aproveite o passeio para curtir os detalhes. E não são poucos neste grande parque. Desde os pequenos córregos artificiais que correm entre os bosques, os lagos repletos de carpas coloridas e o cuidado dos japoneses com as árvores que possuem escoras para aumentar o tamanho de sua sombra.

2 – Templo Higashi Honganji

Descendo na estação central de Kyoto, o Higashi Honganji é um dos primeiros templos vistos. Apesar de estar no coração da cidade, o templo ainda traz as mesmas estruturas da época do Japão feudal.

O templo é dedicado ao Shin Budismo , sua fundação foi em 1321 e o local já mudou de nome algumas vezes e passou pelas mãos de diferentes vertentes budistas.

Descendo na estação central de Kyoto, o Higashi Honganji é um dos primeiros templos vistos.

Descendo na estação central de Kyoto, o Higashi Honganji é um dos primeiros templos vistos. (wikimedia)

3 -Templo Fushimi Inari-taisha

Em Higashi Honganji, Scarlett Johansson caminhando entre os jardins deste local.

Em Higashi Honganji, Scarlett Johansson caminhando entre os jardins deste local. (reprodução)

Localizado em Fushimi-ku, a primeira imagem que tenho deste templo é de Scarlett Johansson caminhando entre os jardins deste local. Mas Fushimi Inari-taisha é um destino sagrado desde 711DC.

Localizado na montanha de Inari, a área do templo é gigantesca e formada por uma série de templos menores. Para passear por todo o complexo é necessário pelo menos duas horas.

4 – Templo Kinkaku-ji
O Templo dourado, oficialmente conhecido como Rokuon-ji (鹿苑寺), é um templo budista e um dos templos mais conhecidos de Kyoto.

Fundado em 1397, o tempo foi destruído em 1477 e logo depois reconstruído, o templo foi novamente destruído em 1950 e sua reconstrução só terminou em 2003.

Além do templo, todo pintado de dourado, o jardim e toda a arquitetura do local, proporcionam um visual impressionante, ampliando os três andares do templo.

O pagoda, uma das construções do Kiyomizu-Dera

O pagoda, uma das construções do Kiyomizô-Dera (Tati Melo)

5- Templo Kiyomizu-dera

A vista de um dos pagodas próximos ao templo de Kiyomizu-dera

A vista de um dos pagodas próximos ao templo de Kiyomizu-dera

O Kiyomizu-dera é o maior templo de Kyoto e um dos principais, se não o principal, destino turístico da cidade.

O templo é na verdade, um conjunto de muitos templos budistas, sua construção teve inicio em 778DC e seu pavilhão principal é impressionante, não somente pelo tamanho, mas também pelo fato de em toda a construção não ter ser sido usado um único prego.

Anexo ao templo, existem dezenas de outros templos menores e lugares onde é possível vivenciar diferentes experiências. Deste caminhar por um corredor totalmente escuro, até ver as estátuas da Deusa Kannon, sentido o cheiro delicioso de incenso.

O Kiyomizu é um lugar turístico, mas em que muito pode ser apreciado. Perfeito para quem está pela cidade por apenas um dia e quer ver um pouco desse lado histórico do Japão.

Ao finais de semana é comum ver os japoneses com quimonos nas ruas de Kyoto.

Ao finais de semana é comum ver os japoneses com quimonos nas ruas de Kyoto.

6 – Pontocho

Na região de Pontocho é possível comer um tradicional jantar japonês com Sashimi e seus acompanhamentos.

Na região de Pontocho é possível comer um tradicional jantar japonês com Sashimi e seus acompanhamentos. (Tati Melo)

Pense em uma rua estreita, repleta de restaurantes. Esta é Pontocho, uma das regiões mais tradicionais em Kyoto.
Apesar de turístico, é possível, se você tiver sorte, ver algumas Geishas caminhando pelas ruas do bairro. Normalmente o que se vê caminhando nas ruas são as Maiko San ou aprendizes de Geisha.

Apesar de um pouco salgados, os restaurantes são maravilhosos. Neste lugar é possível comer um tradicional jantar japonês com Sashimi e seus acompanhamentos.

7- Shijo-Dori
A Shijo-Dori é uma avenida com calçadas cobertas e muitas lojas. Nas transversais da avenida, existem ruas totalmente cobertas que formam um grande shopping center.
Na Shijo-Dori é possível encontrar desde souvenirs, até caros artigos tradicionais da cultura japonesa, como leques, facas e quimonos.
O local vale a visita, talvez muito mais pela curiosidade, do que pela oportunidade de comprar.

Com mais de 700 templos e muitas atrações turísticas, Kyoto é um lugar que valeria uma semana, talvez até mais tempo na cidade. Estes sete lugares talvez possam ser óbvios, mas em alguns deles, vivemos algumas de nossas experiências mais memoráveis em nossa estadia pelo Japão.



Comments

comments