Viajar e comer na rua, quem nunca?

Viajar e comer na rua, quem nunca?

Quando viajamos, queremos e temos a necessidade (pelo menos eu) de explorar novos sabores e temperos, e por que não provar de alguma comida diferente para o nosso paladar?

"Requejão"nas estradas da vida

“Requejão”nas estradas da vida

Fui vegetariana por mais de 3 anos e quando surgia uma viagem, era sempre um drama, pois eu não comia de tudo e precisava escolher um restaurante com uma variedade de comida que não tivesse nada de origem animal.

Ir para a Argentina e não saborear a comida que os habitantes dali comem, soava estranho. Estar no Japão e ao pedir um Soba, ter que tirar toda carne porque eu não queria comer aquilo, enfim, eu acho que se você viaja deve saborear a comida local e como já dizia a minha avó, tem que comer de tudo, ao menos experimentar.

Respeito e adoro a cozinha vegetariana, mas a minha fase já passou e hoje eu como de tudo, salvo excessões de alimentos desnecessários.

Comer comida de rua requer habilidade e um pouco de sorte, nem sempre você encontrará um local limpo, higienizado e com comida boa.

Tivemos um episódio não agradável na Finlândia, depois de comer um Kebab com muita pimenta, ficamos pelo menos 1 dia de cama, foi horrível.

Espetinhos de vegetais e carne nas ruas de Shanghai

Espetinhos de vegetais e carne nas ruas de Shanghai

Mas, não foi por isso que deixamos de comer comida de rua, afinal você pode passar mal em um restaurante sofisticado e não passar mal comendo um lanche na rua.

Na viagem do Japão, tivemos a experiência de comer muitos alimentos diferentes até mesmo no café da manhã.

A nossa estadia no México era de algumas horas, pois estávamos fazendo apenas a escala. Resolvemos comer tortillas na rua, nas barraquinhas no centro do México e curtir a vida do modo que os mexicanos a fazem. Foi uma das experiências mais incríveis que tivemos. Com o mesmo pano que a atendente limpava a mesa, ela limpava a chapa e os utensílios que usava. Sem luvas, ela mesma fazia as tortillas e recebia o pagamento, sem luxo e do modo que tinha que ser.

São nessas horas que você tem que apertar aquele botão e relaxar. Se ficar olhando muito, não vai comer e vai deixar de passar por essa experiência.

No final das contas, não passamos mal, as tortillas estavam deliciosas e continuamos a nossa viagem com mais essa experiência para compartilhar.



Comments

comments